Charles Manson


· Infância e Adolescência
Charles Milles Maddox nasceu em 1934, sua mãe o teve aos dezesseis anos e o pai segue desconhecido. Herdou o sobrenome Manson de um breve casamento de sua mãe. Sua infância foi bastante conturbada, com as inúmeras prisões de sua mãe que era usuária de drogas e prostituta, Charles pulava de casa em casa, morou com seus tios e por bastante tempo com seus avós até sua mãe sair em liberdade. Em um dos episódios de sua infância, a mãe de Charles tentou trocá-lo por bebida em um bar enquanto se embriagava.
Charles começou a cometer delitos muito cedo, ainda na sua adolescência o garoto foi pego por furtos e mandado para um reformatório, Manson conseguiu fugir do local e chegar até a casa de sua mãe que rejeitou o garoto e o mandou de volta. As avaliações psiquiátricas o apontavam como um jovem frio e calculista, mas bastante sensível internamente.

· Antecedentes
Sua primeira prisão de fato foi aos dezessete anos após estuprar um garoto, na cadeia seu comportamento mudou com o tempo e aos dezenove foi solto. Aos vinte anos Charles Manson se casou e teve um filho, seu trabalho não dava muito dinheiro e Manson resolveu começar a roubar carros e foi preso novamente.
Sua esposa pediu separação e assim que foi solto Charles virou cafetão e ladrão, voltou à cadeia após dar um golpe financeiro em uma mulher, agredir e estuprar sua amiga. Foi preso aos 26 e solto aos 32 pelos crimes de assalto à mão armada, drogas e estupro. O grande sonho de Charles era ser cantor, escreveu inúmeras músicas e era fanático pela banda inglesa Beatles.

Manson1968
California Department of Corrections and Rehabilitation


· Família Manson
Charles Manson saiu da cadeia em 1966 em meio ao movimento hippie “amor livre”, ele pregava várias filosofias e era bastante manipulador, com o tempo foi conseguindo seguidores que o acompanhavam. Os principais alvos eram mulheres com emocional abalado, geralmente ricas e que saíram de casa, Manson as convencia de morar com ele e formarem uma família além de usarem drogas. Com passar do tempo novos adeptos foram se juntando e a Família Manson continuou crescendo e assim decidiram se mudar para um rancho, o grupo vivia de aplicar pequenos golpes, usar muita droga, sexo livre e idolatria a seu líder (Manson).
Sua obsessão pelos Beatles fazia de Charles mais que um mero fã. Manson tinha o albúm “White Album” de 1968 como base para a suas teorias, ele acreditava que se tratava de um chamado para um evento apocalíptico de uma luta racial destinada ao movimento negro. Charles acreditava ser o quinto anjo e os integrantes dos Beatles os outros quatro e que através das músicas da banda as instruções eram dadas. Na cabeça de Manson os negros iriam extinguir os brancos e a Família Manson governaria o mundo em seguida dando ordem.
A prioridade de Charles ainda era a música, mas várias gravadoras o rejeitaram e isso enfureceu o líder da Família que começou a planejar seus ataques brutais. No rancho, Manson ensinava a esfaquear e dava aula de como torturar pessoas, assim, seus seguidores começaram a se instruir sobre o que deveriam fazer na hora de executar seus planos.

· Os crimes
O primeiro alvo foi a casa de um produtor musical de Hollywood que havia rejeitado Manson, no entanto, o produtor não morava mais na casa que agora era da atriz famosa Sharon Tate e seu marido, o produtor Roman Polansk. E em 9 de agosto de 1969 um grupo invadiu a casa a mando de Charles e cometeu a primeira atrocidade da Família.
Sharon havia saído para jantar com mais quatro amigos enquanto seu marido estava fora do país gravando um filme. Ao retornar à casa os assassinos já estavam por lá, haviam cortado os fios dos telefones para evitar que a polícia fosse avisada. Espancaram, atiraram e esfaquearam um por um, Sharon que estava grávida foi a última, ela implorou pela sua vida e pela vida de seu filho, mas não tiveram misericórdia, a atriz foi inúmeras vezes esfaqueada e enforcada e com seu sangue os assassinos escreveram a palavra “pig” (porco em inglês) na porta da casa antes de retornarem ao rancho.
Na manhã seguinte a funcionária encontrou os corpos e chamou a polícia. O medo tomou conta de Los Angeles, as pessoas questionavam a segurança de suas casas após a invasão da residência de alguém influente e em um bairro tão nobre. Antes mesmo da investigação começar a Família Manson fez novas vítimas, dessa vez o casal LaBianca que havia chegado na cidade de madrugada após uma viagem. O casal tinha acabado de saber do assassinato de Sharon Tate e ao entrar em casa foram surpreendidos pelos seguidores de Manson.
O casal foi amarrado em cômodos diferentes e foram brutalmente assassinados, a exemplo da esposa que recebeu cerca de 42 facadas. Após o crime os assassinos resolveram jantar na casa das vítimas, escreveram com sangue várias frases nas paredes, em seguida limparam suas digitais e partiram de volta para o rancho. O casal foi encontrado pelos seus filhos e a polícia foi acionada imediatamente, no entanto as autoridades ainda não associavam os crimes e não tinham um suspeito.

· A mídia e as investigações
O papel da mídia de início atrapalhou mais que ajudou nas investigações, as informações falsas eram divulgadas e a imagem da falecida atriz era manchada a cada nova divulgação. Começaram com especulações de um crime encomendado e até uma suposta troca de drogas falha. Os jornais da época ainda apontaram o marido, o produtor Roman Polansk, como suspeito de encomendar a morte da sua esposa. A família e amigos negavam as barbaridades divulgadas pela mídia e ofereciam recompensas por qualquer informação com fundo de verdade a respeito dos assassinatos.
O pai de Sharon que era aposentado de um programa de espionagem com ajuda de terceiros começou a investigar o crime por conta própria, a polícia estava devagar e havia comprometido a cena do local com os inúmeros policiais que entrando e saindo. Após um tempo a mídia começou a colaborar e surgiram testemunhas do caso, agora sabiam a hora exata dos disparos e roupas cheias de sangue além de uma das armas do crime foram encontradas. Mas investigações Tate-LaBianca seguiam de forma lenta e a polícia ainda não tinha um suspeito certo.
A polícia chegou a cercar o rancho e prender os integrantes pela suspeita de roubo de carros, 27 pessoas foram presas, mas por falta de provas concretas de quem ao certo roubava, a seita foi solta e saíram de mudança para outro rancho. No entanto, em meio a mudança mais uma vítima foi feita, dessa vez um funcionário do antigo rancho, Manson acreditava que o funcionário havia delatado os roubos e como castigo foi morto e seu corpo arremessado em um desfiladeiro no meio da estrada.
O caso dos assassinatos estava esfriando até um produtor musical e amigo da Família Manson ser assassinado de forma brutal e dessa vez com participação ativa de Charles, que até então não havia participado dos crimes Tate-LaBianca, apenas orquestrado. O produtor foi morto porque Charles acreditava que ele havia herdado uma grande quantidade de dinheiro, ao ser abordado por membros do clã, o produtor negou e após vários dias de tortura foi morto. A cena do crime era similar as outras, além da brutalidade com a vítima várias frases foram escritas com o sangue do mesmo.

· A reviravolta
Certo tempo depois e com uma nova moradia, os integrantes tentaram novamente invadir a casa da atriz Sharon Tate mas sem sucesso. Entretanto, o pai da atriz viu toda a movimentação e seguiu o carro até o rancho da Família e denunciou à polícia, mas para as autoridades a seita de Charles não passava de usuários de drogas envolvidas com pequenos delitos. A situação começou a mudar quando um dos integrantes foi parado pela polícia ao estar dirigindo o carro do produtor assassinado e a namorada do suspeito, também integrante, denunciou outra irmã do clã (Susan).
Susan foi presa e em sua cela dividida com mais duas detentas ela confessou os crimes cometidos se gabando da situação, com isso, as colegas de cela a denunciaram. Assim, alguns membros do grupo de sociopatas e seu líder foram
presos e em 1970 começou o julgamento da Família Manson, quatro meses depois das mortes.
A promotoria teve dificuldade para incriminar Charles que de fato não estava nas cenas do crime, mas era o mandante e através de sua manipulação convencia seus seguidores, que até então não haviam cometido crimes de tamanha atrocidade, a seguirem seus planos brutais. Manson alegava inocência e com o decorrer do julgamento quis reverter a situação e se declarar incapaz por falta de sanidade, mas não adiantou.
Durante os nove meses de julgamento os integrantes da Família Manson que não participaram dos crimes faziam protestos e vigílias pelos seus irmãos presos. As atividades criminosas também continuavam e mesmo após a condenação alguns membros do grupo faziam de tudo para acender o nome da seita, inclusive, uma das integrantes foi presa após a tentativa de assassinar o presidente.
Em 1971 depois de meses de um dos julgamentos mais longos e caros da história do país, foi dado o veredito, Charles e mais quatro: ‘Tex’ Watson, Susan Atkins, Patricia Krenwinkel e Leslie Van Houten, foram condenados à pena de morte, mas por conta de mudanças nas leis da Califórnia no ano seguinte, os criminosos saíram do corredor da morte e foram condenados à prisão perpétua.

· A vida na cadeia
Charles em 2014 recebeu permissão do Estado pra se casar aos 80 anos, mas desistiu ao saber que sua noiva, 51 anos mais nova, queria expor seu cadáver em uma redoma de vidro quando ele morresse. Sua noiva o visitava com frequência e gerenciava um blog que defendia a inocência do seu amado. Charles Manson morreu em 2017 aos 83 anos em um hospital por causas naturais após quatro dias internado.
Quanto aos outros integrantes, Susan se converteu, virou líder espiritual e morreu em 2009 por um câncer no cérebro, Tex se converteu e virou ministro, casou e teve quatro filhos frutos das visitas conjugais, separou após 25 anos de casamento, se formou e hoje escreve em seu site pedindo perdão pelos seus crimes aos familiares das vítimas. Patrícia virou uma detenta modelo, está em programas de reabilitação onde presos são entrevistados e Leslie abriu inúmeras petições em busca de uma liberdade condicional após 43 anos de prisão, mas de nada adiantou, sendo ela e Patrícia as detentas mais antigas presas do sistema carcerário da Califórnia.

MansonB33920 8-14-17 (cropped) CharlesManson2014
California Department of Corrections and Rehabilitation


· Curiosidades
– Durante o julgamento, o advogado de defesa desapareceu misteriosamente e encontraram o corpo seis meses depois.
– Alguns integrantes colocaram a culpa no diabo em seus depoimentos e após a condenação os réus rasparam a cabeça como protesto e propagaram inúmeras ameaças aos seus condenadores.
– Todos os pedidos de liberdade condicional e clemência feitos pelos culpados foram negados e a família das vítimas ainda lutam para que os assassinos sigam presos e sem direito a voltarem para o convívio em sociedade.
– Charles conseguiu fama, fortuna e fãs ao longo dos anos encarcerado, os membros se tornaram os detentos mais ricos do sistema carcerário.
– Foram feitas várias vendas de assinaturas pelo correio além da venda da imagem de Manson que ainda possui seguidores apesar das atrocidades cometidas por ele e pelos seus integrantes.

Charles Manson signature2
Charles Manson Created in vector format by Scewing